Editora Trem Fantasma

Enrique Breccia

Buenos Aires, 1945. Desenhista, pintor, roteirista.

Artista autodidata, domina as técnicas de xilografia, pintura a óleo, têmpera, nanquim e aquarela.

Seu primeiro quadrinho, A Vida do Che, foi realizado em parceria com seu pai, Alberto Breccia, em 1968, a partir do roteiro de Héctor Germán Oesterheld.

Entre 1970 e 1974 se dedica a escrever e ilustrar a saga La Guerra del Desierto y la Revolución Mexicana para as revistas italianas Linus e Alter Linus, além de Guerra de Argelia, com roteiros de Norberto Buscaglia, para a Linus. Intercalando (1973 a 1976) com trabalhos para a editora inglesa Fleetway, para quem criou o personagem Spy 13.

Em 1976 inicia a publicação, na Argentina e Itália, da série Alvar Mayor (concluída em  1983), seu personagem mais famoso, com roteiro de Carlos Trillo. Desta parceria surgem várias outras obras, como El Peregrino de las Estrellas, e as humorísticas Los viajes de Marco MonoEl Reino Azul e Los Enigmas del Pami.

Participa da primeira versão da Fierro desde o primeiro número, em 1984, publicando La Argentina en Pedazos, onde adapta os textos El Matadero, de Esteban Echeverría,  Los dueños de la tierra: 1892, de David Viñas, e Mustafá, de Armando Discépolo, este último com roteiro adaptado por Norberto Buscaglia. Ainda em 1984 escreve e desenha El Cazador del Tiempo, também para a Fierro, republicado posteriormente na Espanha e Itália.

Entre 1983 e 1987, escreve aquela que é considerada sua obra-prima, El Sueñero – O Sentinela dos Sonhos, trazida para o Brasil pela Editora Trem Fantasma. Em 2006 retorna ao personagem em El Sueñero 20 años después.

Em continuidade a seu trabalho para a Fierro, em 1985 roteiriza a série Metrocarguero, desenhada por seu colega e amigo, Domingo Mandrafina.

Entre 2001 e 2006 trabalha para o mercado norte-americano, desenhando títulos como X- Force e Wolverine para Marvel Comics. Para a DC Comics, ilustrou   Batman Black & White, Batman Gotham Knights, Legion Worlds, 22 edições de Swamp Thing e a graphic novel Lovecraft, esses dois últimos para o selo Vertigo.

Não se pode separar a trajetória profissional de Enrique Breccia de sua militância política, de toda uma vida no Movimiento Nacional Peronista. Em 2003 exerce o cargo de Secretário General de Governo do Município de General Alvarado (Província de Buenos Aires) e integra a Comissão de Cultura da Confederación General del Trabajo.

Em 2005 desenha o primeiro tomo da novela gráfica Les Sentinelles, com roteiro de Xavier Dorison, para a editora francesa, Delcourt.

Para a editora catalã Ediciones del Zorro Rojo, ilustra as adaptações de Koolau, o Leproso e Knock Out, de Jack London, Reunião, de Cortázar, As Montanhas da Loucura, de H. P. LovecraftNo Coração das Trevas, de Joseph Conrad.

Vive e trabalha em Nova York entre 2007 e 2009, retornando à Província de Buenos Aires em seguida, onde se dedica até 2011 à sua grande paixão: a criação de cavalos criollos.  Em 2011 se radica na Itália.

Desenha a edição Dylan Dog – Color Fest para a Sergio Bonelli Editore em 2012, para essa mesma casa editorial italiana, o especial de Tex Willer, Capitão Jack, com roteiro de Tito Faraci, publicado em 2016.

Suas obras se encontram em coleções particulares na Europa e América do Sul, na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, na sede do Governo de Mar del Plata e em galerias de arte argentinas, francesas e suíças.

Durante toda a sua carreira, Enrique Breccia foi convidado para diversos salões, mostras e festivais, como Lucca Comics, na Itália, a Bienal de Comics e Ilustración de La Coruña, a Comic Con San Diego, Comicon de New York, Bienal de Comics e Ilustración de Barcelona, Feira do Livro de Paris, Universidad de Alicante – Valencia, Bienal de Comics de Zagreb, Comicon Nápoles, Mostra de Comics de Turín, Comicon de Herzeg Novi. Foi premiado na Argentina com a Medalha de Ouro do jornal Clarín, o prêmio Pléyade de melhor história em quadrinhos do ano e o Prêmio Fundación Konex de ilustração. Em Lucca (Itália) com o prêmio Gran Guinigi, como mestre das histórias em quadrinhos e o prêmio pela carreira do Museo del Fumetto de Cosenza (Itália).

Atualmente está trabalhando em dois títulos inéditos: a graphic novel em cores, Deadman, retornando ao personagem Tex Willer da Sergio Bonelli Editore, desta vez com roteiros de Mauro Boselli e Golgotha, com roteiro de Laurent-Frédéric Bollée e D. Alcante para a editora francesa Soleil-Delcourt.

Enrique Breccia na Trem Fantasma:

El Sueñero – O Sentinela dos Sonhos, por Enrique Breccia